Olá pessoal, quero agradecer todas as mensagens recebidas via e-mail, Facebook e Instagram. Entre as perguntas que foram feitas, uma me chamou atenção: – Como escolher o creme dental?

E não é para menos, afinal, em uma prateleira do supermercado, farmácia e até postos de combustíveis, é farta a possibilidade de escolhas de creme dental com várias cores, tamanhos e preços.

Vamos iniciar dizendo que os cremes dentais não são todos iguais, e cada um apresenta suas características para determinadas necessidades.

Muito mais que deixar a boca com aspecto de limpa e cheirosa, hoje contam com ingredientes importantes para o controle de doenças e indicações precisas para determinadas situações.

O creme dental é composto por inúmeros compostos, cada qual com uma finalidade. Existem os compostos abrasivos que irão fazer o polimento dos dentes e ajudam a remover manchas e placas bacterianas. Os espessantes dão a cremosidade. Flavorizantes conferem o gostinho de menta, tutti-frutti, canela, e por aí vai. Sem falar dos agentes terapêuticos que irão proteger contra a gengivite, erosão dentária, halitose e a cárie.

Todos queremos qualidade de vida, com saúde bucal e uma estética semelhante ao sorriso anunciado em propagandas.

Um fator que devemos ter cuidado, é a composição de abrasivos do creme dental. Esse creme dental associado com uma boa escova de dente, movimentos bem executados, irá promover um pequeno desgaste no esmalte, removendo a sujeira e pequenas manchas. Mas não se preocupe, esse desgaste provocado está dentro do que é considerado normal.

Algumas marcas comerciais prometem um “clareamento” mais potente, apresentando uma quantidade maior de sílica e o cálcio em sua composição. O uso deve sempre ser orientado por um especialista, pois com uso prolongado pode haver prejuízo a camada superficial dos dentes.

O creme dental deve proporcionar uma proteção anticárie, obtida através da adição de flúor como agente terapêutico.

No Brasil, o flúor está disponível em quatro formulações e está impressa na embalagem dos cremes dentais:

– Monoflúor-fosfato de sódio (MFP) – custo de produção mais barato, tornando o preço do produto mais atrativo para o consumidor.

– Fluoreto de amina – existe evidência que agem no processo de cárie dentária diminuindo a desmineralização, promovendo a remineralização e reduzindo a formação de lesões cavitadas.

– Fluoreto estanhoso – indicado contra doenças bucais como gengivite, erosão dentária e um ótimo auxiliar contra os sintomas de hipersensibilidade dentária.

– Fluoreto de sódio – ele inibe a desmineralização dos dentes, tornando-os menos suscetíveis a cárie.

Outra dica muito importante é que para ser considerado anticáries, deve ter 1000 ppm (partes por milhão) de flúor. Existe opções com 500 ppm, que auxiliam da higiene oral, porém, tecnicamente não é considero anticáries.

Na prática, se o seu problema é a gengivite, que é uma das doenças bucais que mais atingem a população, saiba que é causada por higiene inadequada e proliferação de bactérias. Nessa situação, o creme dental mais apropriado será o que contém o fluoreto estanhoso, associado ao triclosan e o zinco.

Doenças relacionadas a erosão dentária, onde o vilão é o consumo regular de refrigerantes, sucos ácidos, problemas de refluxo gastroesofágico e a bulimia, os cremes dentais que contenham fluoreto de amina e fluoreto de sódio serão ótimos auxiliadores na saúde bucal. Mas lembre, será um auxiliar apenas, pois os hábitos devem ser mudados e profissionais consultados.

Quanto ao problemas de sensibilidades dentaria, devemos utilizar cremes dentais que possuam em sua fórmula sais capazes de bloquear esses estímulos dolorosos protegendo a superfície dental. Fluoreto de amina e fluoreto de sódio também tem apresentado ótimos resultados. A questão é que eles só funcionam enquanto forem utilizados. Para uma solução de longo prazo, o jeito é apelar a tratamentos mais específicos, feitos no consultório odontológico.

Sobre o mau hálito, que é um martírio para todos, temos a regra principal de fazer uma ótima higienização  dos dentes, língua e a gengiva. Se mesmo assim o mau hálito persistir, vale investigar se não há problemas mais sérios por trás do odor.

Agora já temos um pouquinho de conhecimento sobre os cremes dentais, mas se tiveres crianças em casa? Vale a pena investir em creme dental infantil?

Pelo lado lúdico, de encantamento da criança, vale a pena sim. Creme dental de personagens e com gostinho mais acessível, favorece uma melhor participação da criança durante a higienização. Depois, comece a inserir gradativamente o seu creme dental que contenha flúor numa concentração de pelo menos 1 000 ppm, garantindo assim a ação anticárie.

Uma última observação muito importante é sobre a quantidade do creme dental disponibilizada na escova. Para as crianças devemos colocar algo como um grão de arroz ou de ervilha, a depender da faixa etária, sempre com supervisão dos responsáveis, evitando que o creme dental ou espuma sejam engolidos. Para os adultos e adolescente, basta colocar uma quantidade aproximada de um terço da superfície da escova. Uma quantidade maior será apenas desperdício.

Até a próxima!!