Dois caminhoneiros foram resgatados em Itajaí, no Litoral Norte de Santa Catarina, segundo a Polícia Militar, após permanecerem em cativeiro por quase três dias. A Polícia Civil informou, nesta segunda-feira (8), que investiga o caso.

Conforme a PM, os dois foram encontrados em locais diferentes, no domingo (7), mas ambos relatam que foram chamados para fazer um frete em Balneário Piçarras, na mesma região, na quinta (4).

Eles teriam sido dopados e não se recordam, com detalhes, do que aconteceu no cativeiro. Segundo a PM, uma das vítimas, no entanto, contou que conseguiu ver outra pessoa no domínio dos criminosos.

A Polícia Militar identificou que as vítimas vieram de São Paulo e do Paraná. Os próprios caminhoneiros acionaram a polícia após serem abandonados (leia mais abaixo).

A investigação, conforme a Polícia Civil, ainda está em fase preliminar na Delegacia de Roubos e Antissequestros da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC). Por isso, detalhes não foram repassados.

Resgates

A primeira vítima a ser resgatada, um homem de 51 anos, foi encontrada no bairro Espinheiro. Ele teria sido abandonado, sob efeito de entorpecentes, em uma área de mata na região. Ao conseguir se soltar, foi até uma rodovia pedir ajuda e ligou para a polícia.

Após o resgate, ele recebeu avaliação médica em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Ele relatou que foi sequestrado por ao menos três homens que portavam arma de fogo.

O caminhoneiro lembra também de ter sido agredido e ameaçado. Afirmou que os homens teriam ligado para a esposa, solicitando uma transferência de dinheiro.

A segunda vítima, de 41 anos, encontrada pouco tempo depois no bairro Salseiros, relatou o mesmo crime. Ele informou que foi abordado por quatro criminosos.

Conforme a PM, ele disse que os homens levaram o caminhão que ele dirigia, dois semirreboques, celular e cerca de R$ 2 mil.

Fonte/Foto:G1 Globo, Gabriel Lain/NSC.

Participe do nosso grupo de ouvintes no WhatsApp e Telegram, e receba informações atualizadas diariamente.

WhatsApp, clique aqui.

Telegram, clique aqui